O episódio: Don’t Fear the Reaper foi o episódio mais coração da história de Grey’s Anatomypage cardio!!” porque nós vamos falar do coração dessa série. Se Meredith é o sol, Miranda Baley definitivamente é o coração. O coração é vital, e essa personagem que a princípio era o terror dos internos a treze anos atrás, ganhou não apenas força, mas também se tornou alguém indispensável para o reconhecimento da série.

“Don’t Fear the Reaper” trouxe a história de Miranda utilizando-se inicialmente de uma suspeita de ataque cardíaco, o que nos levou a lugares ainda não explorados a respeito de Miranda como por exemplo flashbacks de sua infância e adolescência. Miranda cresceu em um ambiente de super de proteção por conta de um trauma de sua mãe, sendo assim, ela não fazia as coisas normais que as garotas de sua idade faziam, levando-a na vida adulta a um quadro de transtorno obsessivo compulsivo; O que mais uma vez explica a dificuldade que ela tem de se arriscar ou mesmo ser tão resistente a inserção do marido no corpo de bombeiros.

Ainda com flashbacks podemos notar aspectos de sua história pouco explorada, quer dizer Miranda teve história, apareceram diversos flashbacks em diversos momentos com Richard, Derek, Callie, George, mas ela não é aquela personagem que está na linha de frente, é como a analogia do coração, está sempre por lá, embora tantas e tantas vezes esquecemos de sua real importância.

Por falar em coração Maggie Pierce esteve lá para consertar o coração de Bailey (E acabar com o meu porque ela estava especialmente linda neste episódio), seus amigos: Richard e Catherine e claro o marido Warren.

O episódio não trouxe os outros personagens (o que lembrou um pouco do trauma da décima terceira), mas tudo bem porque foi centrado na rainha Bailey. Eu não sei vocês, mas não gosto muito de episódios tão específicos sem a presença da maioria dos personagens, apesar dessa preferência, a vibe da temporada está ótima e cheia de sensibilidade.

Não podemos deixar de citar a discussão sobre o ataque cardíaco em mulheres, Grey’s Anatomy em mais um episódio trazendo temas relevantes e de utilidade pública.

Para encerrar de uma forma bem poética e libertadora porque Bailey é símbolo de mulher forte e mulher negra! ela disse a seguinte frase ao marido “Me construa uma casa na árvore, roube uma daquelas escadas legais do corpo de bombeiros, e me construa uma casa na árvore onde eu possa ler. Uma garota precisa de paz para ler um bom livro na árvore mais alta que achar”. Como não amar a Bailey?

 

 

 

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM