O episódio 14×05 de Grey’s Anatomy carregava a expectativa de episódio do “sono” entre os fãs, pelos spoilers era possível perceber poucas interações no hospital Memorial Greys Sloan, e raras cenas com os personagens regulares. No entanto, não apenas superou as expectativas como teve um desfecho surpreendente.

Após receber alta, Megan Hunt decidiu morar na California com sua família, o que causou mal-estar com seu irmão Owen Hunt. Owen tem medo de perder Megan novamente, afinal ela passou dez anos sequestrada longe de sua família. Os dois protagonizam momentos divertidos, tensos e emocionantes durante o episódio. Os atores conseguiram passar com primazia várias emoções.

Megan abriu o coração, revelou para Owen que havia traído seu marido primeiro, fez um discurso sobre erros, culpas e aproveitar a vida, explicou que após passar 10 anos presa ela queria simplesmente viver no lugar que sempre sonhou com as pessoas que amava a despeito das imperfeições e erros do passado. Paralelamente os flashbacks contam sobre os problemas relacionais de Megan e Nathan, o polêmico pedido de casamento, as intrusões do irmão em sua carreira .

O episódio serviu para o fechar o ciclo de Megan Hunts que chegou à primeira vista para causar um triangulo amoroso na vida de Nathan e Meredith. A primeira surpresa acontece quando ao final da exibição do episódio Shonda Rhimes simplesmente revela em sua conta no twitter que aquela seria a última participação do ator Martin Henderson na série pois se dedicaria a outro trabalho. Em suma é o fim do casal do Meredith Grey e Nathan Riggs. Pensando no processo de construção da narrativa me veio a seguinte pergunta: Se Martin não deixasse a série, teríamos a volta da Megan?

Primeiramente o formato desse tipo de triângulo em que a Meredith se envolve com um homem que julgamos não ser comprometido e depois de alguma forma surge uma esposa está mais do que passado. Obviamente o relacionamento MerThan estava sendo desenvolvido ao modo despacito, e a princípio eu não gostei da volta da Megan porque eu achei que seria só mais um triângulo repetitivo.

Sem entrar em mérito de ships eu gostei do desfecho de Nathan e Megan, se compararmos, alguns personagens muito mais ovacionados tiveram fins trágicos e esquisitos, não tem como não mencionar o respeito que a história de Megan e Nathan teve, não apenas pelo final feliz, mas pelo cuidado, em vários detalhes.

A pergunta que não quer calar, como fica Meredith? Ela não pareceu estar tão envolvida por Nathan. Na verdade, por meio desta narrativa podemos estabelecer um paralelo de comparação, e ver o amadurecimento da protagonista, antes ela poderia estar mendigando amor, agora ela parece saber que um companheiro é um ótimo complemento, um apoio, um bônus; não uma necessidade. É como se ela soubesse que ela é sol.

A segunda surpresa do episódio veio com Owen e Amelia decidindo terminar o casamento de vez. Outro ship destruído (pelo menos aparentemente) para alegria de uns e tristeza de outros. Novamente o papo de você se casou com um tumor e não nos conhecemos mais, veio à tona. Owen parecia estar aliviado e Amelia mais confusa do que nunca.

Devo confessar que Amelia é uma personagem que me intriga, principalmente com esta história de tumor talking. Em diversos momentos sinto que isso é uma formar de justificar as ações de uma personagem sem grandes argumentações, afinal é culpa do tumor, mas é preciso ponderação nisso. Talvez fazer um processo de terapia seja interessante para entendermos suas ações. Porque se tudo fosse culpa do tumor nem trabalhando (com altos índices de sucesso), ela estaria esse tempo inteiro.

O desmembramento de dois ships fortes abriu possibilidades para novos ships. Quais as apostas de vocês? O que achou da saída de Martin? E as expectativas de participações especiais no episódio 300?

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM