2016 foi um ano difícil, mas não para nós, seriadores. Fomos agraciados com produções incríveis e histórias que vieram para ficar. E é claro que não podíamos deixar de falar um pouco das mulheres e principalmente das personagens femininas que arrasaram este ano. Infelizmente ainda falta muito para termos um cenário não perfeito, mas minimamente equilibrado, tanto na quantidade de personagens femininas quanto na diversidade delas. Mas vamos lá com nossos oito destaques do ano.

mulheres 2016A ascensão de Cersei – É inegável que das personagens femininas de Game of Thrones Daenerys Targaryen é a mais popular, porem em 2016 a matriarca do que restou da Casa Lannister roubou a cena. Cersei iniciou a sexta temporada arrasada após a caminhada da vergonha – shame, shame, shame, e depois de muitas decisões impulsivas chegou a season finale de forma bombástica, literalmente. Preparada para ser mãe e esposa, Cersei sempre foi além de odiada, subestimada, mas após explodir todos os seus inimigos e vários membros de Casas importantes ela conseguiu se vingar e chegar onde ninguém imaginou, no trono de ferro. Sem o ponto de referência que eram os filhos Cersei ficou com a coroa de Tommen sem imaginar que a profecia que tanto temia estaria atravessando o mar com três dragões para enfrentá-la na penúltima temporada.

mulheres 2016A normalidade de Sam – Fomos apresentados nesta fall season a um tipo de protagonista feminina que não sabíamos que precisávamos. Bem, que eu precisava. Que é aquela com cara, jeito e histórias como as nossas, uma heroína da vida real. Sam de Better Things é uma mulher de quarenta anos que vive e luta com as mesmas situações que todas as mulheres lutam e de forma super natural. Criar três filhas sozinha, se firmar no mercado de trabalho e adaptar sua vida amorosa a tudo isso e ao nosso dia-a-dia cada vez mais virtual. Tudo isso em um universo regido por mulheres tão diferentes quanto possível. Você é, conhece uma ou quer ser Sam em algum ponto, Uma auto-biografia de Pamela Adlon acabou se tornando um presente para todos nós. Uma representação de quem somos.

mulheres 2016Marcia, Marcia, Marcia  – American Crime Story: The People Vs O.J Simpson não tem só um nome gigantesco, mas sim uma das melhores personagens do ano. E melhor, uma personagem baseada em uma mulher real, quer dizer que Marcia Clark não viveu apenas em nossas telas, mas ela está por ai agora, engrandecendo nosso mundo. A mulher que sofreu por um ano para levar o julgamento do século até o fim, que foi julgada por sua aparência, por ser mulher e por sua força, mas a trancos e barrancos tentou fazer justiça e manter o controle de uma situação praticamente incontrolável. Marcia Clark ainda foi interpretada pela incrível Sarah Paulson, que deu a força e sensibilidade que a personagem precisava, o que a transformou na atriz mais premiada da TV em 2016. Pena que a história foi contada em uma antologia e não teremos uma continuação.

mulheres 2016Fleabeg, esse é realmente o seu nome? – A atriz e comediante inglesa Phoebe Waller Bridge nos presenteou em 2016 com uma das melhores comédias dos últimos tempos, que apresentou uma protagonista feminina que colocou o nosso feminismo de cada dia a prova. Fleabeag conseguiu mostrar em apenas seis curtos episódios tantas facetas que me fez embarcar na primeira temporada de cabeça. Humor como arma de resistência, solidão, luto, depressão e esperança, tudo no mesmo pacote e na mesma personagem. Quebrando constantemente a quarta parede Fleabeg nos conta como a vida adulta de uma mulher pode ser libertadora, divertida, mas ao mesmo tempo dura e complicada. Um dos ponto fortes dessa comédia foi deixar bem claro que mulheres podem e devem ter a vida sexual ativa que lhe convêm, do jeito que lhe convêm e com quantos lhe convêm.

9533043_issa-raes-hbo-comedy-insecure-debuts_e3b49232_mIsae Dee e Isae Rae – A comédia Insecure teve o azar de estrear na HBO junto com Divorce e logo após Westworld. mas nós tivemos todo a sorte de ganhar uma protagonista feminina e negra, que de uma forma muito madura, sincera e simples veio para ajudar a quebrar esteriótipos e de quebra nos divertir. Insecure mostra a vida de uma jovem mulher negra que encara com muita inteligência a sociedade, o racismo e a escolha que toda mulher é obrigada a pelo menos pensar sobre uma vez na vida. Amizade, vida amorosa ou profissional, qual deve ser prioridade? Isae é uma blogueira e conseguiu impor na sua série uma linguagem muito dinâmica, pegando de jeito o publico jovem, falando sério e passando suas mensagens sem ser séria demais. Dez episódios no formato HBO são perfeitos para deixar Insecure enxuta e Isae nos nossos corações.

mulheres 2016Olááá, enfermeira Claire – ela talvez seja a personagem mais importante para o futuro das séries Netlix/Marvel. É bem provável que seja ela a pessoa a juntar no futuro os Defensores. Vagando entre Demolidor, Jessica Jones e Luke Cage, Claire Temples se fez vital em cada uma delas, foi o fator incentivo, o apoio moral na hora certa que os filhotes de heróis precisavam, tudo com sua presença acalentadora e forte ao mesmo tempo. Por saber a identidade e onde estão cada um desses vigilantes ela será a cola que unirá esse novo grupo que nascerá em 2017. Claire não vestiu nenhum traje ou mascara, não tem nenhum super-poder, mas nada disso a impediu, ela tem força e vontade de sobra para ser a heroína a sua maneira. Rosario Dawson tem um expressão de força e conseguiu colocar isso a melhor  ‘sidekick‘ da TV.

mulheres 2016A derrocada de Annalise – a terceira temporada de How To Get Away With Murder veio para desconstruir a nossa “heroína” diabólica, mas sem tirar sua força. Como Viola Davis(Deus) disse uma vez, personagens negras são de todos os jeitos e maneiras, de todas as índoles e vivem em todos os cenários, Annalise trouxe a luz nessa temporada seus medos e segredos obscuros ainda não revelados, assim como qualidades guardadas a sete chaves. Irreconhecível em alguns episódios a personagens soube se fechar quando enquanto o mundo desabava a sua volta e soube ressurgir na hora certa, mesmo que para carregar o peso de geral nas costas. Annalise é de uma força tão grande que desperta amor e ódio, as vezes em um mesmo episódio. E às vezes me pego pensando se outra atriz poderia ou conseguiria dar a personalidade e vulnerabilidade que a personagem exige e é claro que a minha resposta é sempre a mesma: Não!

mulheres 2016A bela, recatada e do lar, Claire Underwood – Claire não foi criada para isso, mas se disciplinou a ser a esposa perfeita, o braço-direito perfeito, a aliada perfeita. Bem, pelo menos para parecer tudo isso. Claire é uma força da natureza que é tão objetiva que assusta. Claire sempre soube jogar o jogo e se manteve nos bastidores tempo suficiente para fazer o marido chegar a Casa Branca. Só que na quarta temporada ser a primeira-dama já não era suficiente e foi ai que ela reinou absoluta. Levando o marido do alto da piramide, onde ela o colocou, na beirada do abismo. Claire deixou bem claro que quer poder, no minimo o mesmo poder do marido e que não vai pensar duas vezes em empurrá-lo para fora do caminho se necessário.  Tudo isso sem perder a classe! E o ano ainda foi marcado pelo pedido aberto de Robin Wrigth, que queria e conseguiu ganhar o mesmo salário de Kevin Spacey.

E ae, faltou alguma? Faltaram várias, não é? Deixe as suas preferidas de 2016 nos comentários e que 2017 nos traga muitas mais.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM