Bastou  Audrey Wauchope, roteirista de várias séries escrever um Thread em sua conta no twiiter para colocar os fãs de One Tree Hill em alerta. Mesmo sem citar o nome de Mark Schwahn foi a faísca necessária para muitos anos de assédio e abuso explodir nas nossas caras.

Ela descreveu situações que nenhuma mulher e nenhum homem deveria viver em um ambiente de trabalho, mas que como vemos ultimamente é o calvário feminino, em todos setores e é claro na TV e no cinema. Um showrruner que transformava o set em um lugar perigoso para as mulheres, que invadia o seu espaço pessoal e violava seu corpo com toques indesejados. Esse foi o desabafo de Audrey. “Estou furiosa e triste pelas mulheres que precisaram se sentar em um sofá ao lado daquele homem e estou furiosa e triste que, mesmo anos depois, eu não me sinto segura para conseguir fazer nada real sobre isso, que parece estar acontecendo em todo o lugar”.

Os fãs logo juntaram as peças e chegaram ao nome de Schwahn, o que na verdade não foi necessário, por que logo depois a atriz Hilarie Burton, uma das protagonistas de One Tree Hill, que deixou a série de forma estranha na sexta temporada, também usou seu twitter para apoiar Audrey e se juntar a ela. Hilarie foi seguida por Sophia Bush e não demorou para as principais atrizes da série criarem um coro para expor o criador da série. Elas escreveram uma carta aberta sobre o assunto publicada no site Variety.

“O comportamento de Mark Schwahn durante as filmagens de One Tree Hill era algo como ‘um segredo conhecido’. Muitas de nós fomos, em graus diferentes, manipuladas psicológica e emocionalmente. Mais de uma de nós ainda está em tratamento de stress pós-traumático. Muitas de nós fomos colocadas em situações desconfortáveis e tivemos que aprender a lutar, muitas vezes fisicamente, porque ficou claro para nós que os supervisores na sala não eram os protetores que deveriam ser. Muitas de nós foram tratadas de formas profundamente perturbadoras, traumatizantes e até ilegais. E algumas de nós foram colocadas em posições onde nos sentíamos fisicamente inseguras. Mais de uma mulher em nosso show teve sua trajetória de carreira ameaçada”.

Ainda na carta elas dizem que o futuro da série era colocado sobre os ombros das atrizes e que só o silêncio salvaria o emprego de toda a equipe. Assim elas foram obrigadas a se unir para de alguma forma proteger umas as outras e proteger qualquer mulher que fosse contratada.

E isso é uma grande resposta a pessoas que estão entediadas com todas as denuncias que tomaram conta dos noticiários. Pessoas que insensivelmente questionam o tempo levado para fazer as denuncias. Essa carta diz tudo. A ameça, a pressão, colocar sobre os ombros das vitimas uma responsabilidade que elas não tem no intuito mantelas caladas. É assim que uma rede de abusos se sustenta, no silêncio. E é preciso não só simpatizar quanto aplaudir quando uma vitima consegue falar, por que muitas vezes elas precisam de coragem, precisam se sentir confiantes para fazer o mesmo, para encontrar a sua voz e se fazer ser ouvidas.

Audrey, Hilarie, Sophia, Joy e mais de dezoito mulheres se juntaram lá atrás para se proteger e agora se juntaram para gritar por justiça, pois Mark Schwahn continuava ai, trabalhando, ganhando outra série para produzir, outra equipe para repetir o modus operandi de predador, enquanto elas guardavam seus traumas e marcas. E não é só por possíveis novas vítimas, elas fizeram por elas mesmas, pelos anos de medo, de terror psicológico e por tudo o que ele e os que o rodeavam roubaram delas.

E sim, eu estou muito orgulhosa de cada uma delas. De Audrey por ter tido a coragem sem nenhuma garantia de apoio, por Hilarie e Sophia por ter ido ao seu socorro sem hesitar e por todas as outras que se juntaram. Um obrigada as que vieram antes e força as que ainda estão em silêncio, procurando suas vozes.

FUCK YOUR SORRY!!!BURN IT DOWN SIS!!!

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM