Dia 1º de setembro a Netflix liberou a terceira temporada de umas de suas maiores produções, Narcos. Sem Pablo Escobar (Wagner Moura), a série tinha o desafio de manter o público interessado mesmo após a perda de seu grande protagonista das duas temporadas anteriores. Pois parece que além de cumprir esta missão, a história conseguiu evoluir e ampliar ainda mais seu universo!

Se mesmo com esses motivos você ainda não está convencido, elencamos aqui mais cinco razões para conferir a terceira temporada!

 

TRAMA ENVOLVENTE

Um dos maiores elogios à série produzida por José Padilha é seu ritmo dinâmico presente desde a primeira até a segunda temporada. Pois esta característica permanece forte na terceira! Os acontecimentos são tão frenéticos, mas, ao mesmo tempo, tão bem costurados pelo roteiro bem escrito, que fica difícil assistir sentado.

 

JAVIER PEÑA: MELHOR PERSONAGEM QUE VOCÊ REPEITA

Quem já assistiu Narcos, a essa altura, sabe que Pablo Escobar é um personagem e tanto, cheio de nuances e tons de cinza, mesmo que a faceta vilanesca seja a mais destacada. No entanto, mesmo com a ausência do traficante, a série sempre foi brindada com Javier Peña (Pedro Pascal) personagem super interessante que, mesmo estando do lado dos caras “do bem”, também apresenta várias facetas na sua personalidade, flertando um pouco com atitudes questionáveis para um herói. E essa dubiedade é um dos aspectos mais legais de se observar pois deixa o espectador sempre na expectativa de que ele fará algo inesperado. Além de tudo isso, o seu interprete é um ótimo ator que tem carisma de sobra.

 

PERSONAGENS SECUNDÁRIOS QUE IMPORTAM

Já comentamos aqui sobre a importância que os personagens principais à trama. Mas de nada adianta protagonistas estelares se os secundários só fazem figuração de luxo. Felizmente não é o caso. Embora seja uma das marcas registradas da série, esse aspecto parece ter ganhado ainda mais força na temporada atual. Dentre muitos, cito aqui, sem muitos detalhes para evitar spoilers, Jose Salcedo (Matias Varela), cuja a participação na trama surpreende muito. Atenção nesse moço!

 

O CARTEL DE CALI

Se você achava El Patrón mau, os irmãos Rodrigues vão fazê-lo parecer uma criancinha (ouviu, Euron?). Além de aumentarem os níveis de maldade, eles conseguiram ficar ainda mais ricos que seu antecessor, e o alcance do cartel de Cali atingiu escala mundial. Sem contar que o grupo de personagens é fascinante pois cada um tem uma personalidade distinta e um papel específico a cumprir nos negócios da família. Ao meu ver, foram uma substituição digna de Escobar.

 

TRILHA SONORA

Confesso que não lembro de ouvir falar na trilha sonora como um destaque de Narcos nos anos anteriores. Este ano, contudo, ela se apresentou mais ousada e versátil, saindo um pouco dos típicos sons latinos e abusando de estilos como hip hop, usado pela primeira vez na série. A inovação na escolha das músicas deu um toque mais gangster nas cenas mais pesadas, ditando o tom dos novos protagonistas. Novidades sempre são boas, mas ainda bem que a produção não abandonou a belíssima música de abertura Tuyo cantado pelo brasileiríssimo Amarante. Soy el fuego que arde tu piel…

E aí, convencidos? Digam nos comentários o que acharam da terceira temporada!

 

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM