Não sou muito fã de séries procedurais, não mais. Minha paciência é reservada para poucas e Chicago P.D é uma delas… pelo menos por enquanto. Das franquias Chicago foi ela que me interessou e que me fez ficar depois de uma primeira e bem instável temporada. Os personagens era bem escritos e para todos os gostos, os casos semanais foram ficando cada vez melhor e importantes para construção da personalidade do grupo de inteligência de Hank Voight, que ia e continua indo até o limite para resolver os casos e deixar Chicago minimamente mais segura.

(O texto a seguir terá pequenos spoilers da segunda e terceira temporada)

A segunda temporada terminou com um incrível gancho que tirava a protagonista feminina não só da inteligência, mas da policia e vida de Voight. Erin teve um grande destaque na segunda temporada, se transformando na protagonista da série em alguns momentos. Seu desligamento na ultima cena da segunda temporada cortou o coração de muita gente e fez todos os fãs voltarem correndo para o inicio da terceira.

Foi então que Chicago PD cometeu seu primeiro grande erro. O de resolver a crise existencial de Erin em apenas meio episódio. Foram meses esperando a série voltar, meses imaginando no trabalhão que Hank teria para convencer a filha adotiva a não desistir da carreira promissora e bastou o sequestro de um amigo para ela ver que estava fazendo merda. Foi frustrante e acabou queimando a personagem em um plot mal aproveitado.

Vida seguiu e Chicago PD se encontrou na terceira temporada de forma fenomenal. O ponto que me fazia torcer o nariz virou o ponto forte, os casos da semana. O roteiro frenético e incrivelmente relevante para os tempos atuais elevou a irmão do meio das Chicagos a status de série de gente grande. Com direito a plot twist de explodir cérebros no ultimo episódio. Voigth voltou ao lugar de protagonista e líder da porra toda. Às consequências dos seus atos impensados e raivosos tinham o potencial de virar a quarta temporada, vida e carreira de cada um dos membros da Unidade de Inteligência de cabeça pra baixo.

O plot deveria desafiar a moral e ética dos personagens e forçá-los a escolher um lado. Foi isso que ficou subentendido ao final da ultima season finale e foi o que moveu nossas expectativas durante o hiatus. Erin, Antonio e Al continuariam fieis a Hank? Os mais novos se rebelariam? Esperei com ansiedade pela volta e para minha surpresa, sim, me surpreendi de verdade, tudo foi resolvido sem muitas complicações na season premiere e vida que segue #2. Pegaram todo aquele potencial e simplesmente jogaram no lixo. Foi frustrante acompanhar a merda que Hank fez ser jogada pra debaixo do tapete em quarenta e cinco minutos. Personagens que deveriam confrontá-lo ignoraram o acontecido e o maior plot que a série poderia ter até o momento minguou de forma bem triste.

Em seguida veio o segundo episódio com um caso da semana desinteressante, o que só me fez pensar na chance perdida no primeiro. Ainda mais quando um dos personagens mais carismático deu indicio de que deixaria Chicago para sempre. Mouse sempre foi mal aproveitado, mas o roteiro dava sempre uma brecha para deixar claro de que ele e Jay tinham uma história no exercito. Ele não aparecia muito, mas aquela possibilidade sempre esteve ali, esperando sua vez para ser explicada. Ai vem terceiro episódio sem sua presença, ok. Quarto episódio e uma personagem nova com o mesmo cargo brotou em seu lugar. Do nada, sem explicação e sem apresentação. Precisei parar e puxar na memória o terceiro episódio para ter certeza de que não perdi a despedida de Mouse e não, não houve uma despedida, apenas uma substituição, quase um recast.

Ai me pego aqui incrivelmente decepcionada com Chicago PD, triplamente decepcionada. Por insistir na pressa em desenvolver seu plot principal, de não acertar em nenhum dos primeiros casos e por ofender os fãs com o descaso e erro do roteiro com um de seus personagens mais queridos. Tudo isso em quatro episódios. Chicago P.D deixou claro de que não precisamos temer pelos personagens, que eles sempre voltarão atrás ou conseguirão se livrar dos problemas. O que é péssimo, por que se você não teme, você não se apega. E acabam com nossas expectativas quanto aos coadjuvantes que lutam por um espaço, já que não hesitarão em retirar personagens não aproveitados, queridos pelo publico ou não.

Então pode ser que a temporada entre nos eixos, de que o roteiro se encontre novamente, mas com certeza não verei o que vem pela frente com os mesmo olhos. Infelizmente!

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM