Barry está preso! E o que acontece com um herói quando este vai para a prisão? Encontra velhos amigos! Mas o foco do episódio dessa semana de The Flash não ficou só nele. Na falta do herói principal, Central City teve que se contentar com Ralph Dibny. O… bem, ele ainda não tem nome. Quer dizer, sabemos que ele tem, mas a série ainda não revelou para a gente.

E ao que parece, Ralph estava fazendo um bom trabalho. Estava sendo bem convencido também, mas dando conta do recado. Até aquele velho amigo de Flash começar a fazer velhas “palhaçadas”. Alex Walker, o Trickster, consegue escapar de Iron Heights, com a ajuda de sua mãe, que se disfarçou de enfermeira para poder ter acesso a ele. As intenções dela são boas no começo, apenas quer estar junto ao filho. Mas Alex quer é saber do pai, o Trickster original, interpretado por Mark Hammil na primeira temporada da série. Hammil é grande novamente, com a volta de Star Wars, então provavelmente não voltará à série. Os roteiristas deram um jeito nisso. Então Trickster filho volta, ameaçando a cidade.

Ralph Dibny é escalado para combatê-lo. Está cheio de si, devido ao sucesso alcançado contra outros vilões. Infelizmente, ao se considerar indestrutível, não estava preparado para o “áxido” que Trickster carregava. Foi ferido e acabou sendo resgatado por Vibe. Mais uma vez, questionei o porque de termos Vibe e Killer Frost nos episódios. Sei que não posso querer muito das séries da CW, mas me incomoda. Eles têm mais experiência, conhecem os vilões mas, neste momento, só Ralph vai ao encontro dele? Chato.

Falando em chato, as interações Cisco x Wells estão assim. Cisco está sendo mal aproveitado novamente. Quando Wells e ele se juntam, para fazer alguma coisa que não seja trabalhar, ficam insuportáveis. O que antes era até divertido, agora está um saco.

Voltando a Ralph, depois de se machucar, ele fica assustado e não quer mais enfrentar Trickster. O, agora, “Stretchy Man” ainda não tem o coração de herói que Barry tem. Então ele vai até Iron Heights, em busca de orientação. Ou algo assim.

Barry na prisão tem sido interessante. Ele apresentou aquele comportamento típico de personagens que se acham melhores que os outros presos ali. Sem entender que  alianças são necessárias naquele ambiente. Ele tem sido ameaçado por alguns companheiros de prisão, mas não pode fazer nada com sua velocidade, já que vive cercado de câmeras de segurança. Aliás, a primeira cena do episódio foi uma rebelião. Achei que seria um possível desculpa para que Flash saísse da cadeia, mas foi apenas para nos mostrar a cilada em que ele se encontra. É claro que Flash controla a situação. Além disso, depois de esnobar Alex Walker e dizer que não precisa de amigos, Flash faz um de verdade. Big Sir era amigo de Henry Allen e foi salvo por este, que o operou quando não havia médicos disponíveis.

Então Ralph visita Barry, a fim de soltá-lo para que ele prenda Trickster. Em vez disso, Barry ensina para Ralph que a mortalidade dá um oi aos heróis de vez em quando. Isso faz com que Ralph tenha um novo ânimo. Enquanto isso, Vibe e Killer Frost vão na frente, Aleluia, para tentar capturar Prank e Trickster. E, da forma mais idiota que você poderia querer, eles é que acabam sendo presos. Tem dois reféns com sacos na cabeça. Qual é a primeira coisa que você faz? Exato. E eles não fizeram. Como dois bons personagens negligenciados que, se fosse para ser assim sempre, não deveriam ter poderes. Cisco até que sim, mas deveria ter ficado só na abertura de brechas e visões. Ah! Ainda nem comentei o jeito que Killer Frost tem sido “acordada”. Wells e Cisco gritam coisas para Caitilin, que causam estresse, para que a Killer Frost venha. Pra mim, isso não é nada legal de se assistir.

Com Vibe e Killer Frost a ponto de serem derretidos pelo “áxido”, Ralph chega para resgatá-los. Enquanto isso, Wells esteve trabalhando num solvente, para cancelar o efeito do ácido. Ele consegue bem a tempo, claro. Ralph se estica todo para cobrir Vibe e Killer Frost, agora corajoso e altruísta e se surpreende ao ver que não está sendo corroído. Mais uma vez, o #teamflash conseguiu.

Apesar dos pesares, foi um episódio gostoso de assistir. Mais dinâmico e coeso que o anterior, com as lições clássicas de filmes e séries de heróis, que tanto gostamos. Ralph tem sido um sopro de ar fresco no #teamflash, vejam só! É um personagem divertido, que está aprendendo qual é a de se salvar vidas. E agora chama-se “Elongated Man”. Por enquanto, apenas.

Sobre DeVoe? Pequenas menções apenas, deixando a entender que estão procurando um jeito de tirar Barry da prisão. Estou ansiosa para ver como resolverão essa parte, já que ele “é o cara”. Claro, vai demorar mais uns dez episódios. Só espero que até lá, tenhamos mais exemplos bons como o 4.09 “Don´t Run.”

#flashpoint

– Aquela pergunta de sempre: Onde está Wally? (Sei que, se ele aparecesse, o episódio não seria sobre o que foi, mas me intriga quando param de mencionar o personagem.)

– Como eu amo o tema musical do Flash! Quando ele tem a possibilidade de usar seus poderes na prisão e começa aquela câmera lenta acompanhada do tema… ahhh, que coisa linda!

– E aquela personagem do final, hein? De onde ela vem? Speed Force talvez? Estava escrevendo as letrinhas que Barry escrevia quando voltou a Terra. Ela vai quebrar o código para o #teamflash. “The house is bitchin’” ainda vai valer?

 

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM