O incrível roteiro, a incrível direção de The Handmaid’s Tale está dando oportunidades para Elisabeth Moss usar todo o seu repertório e talento, semana após semana, desde a sua estreia. E a atriz não perdeu nenhuma chance, é até difícil escolher uma cena em particular em que ela não tenha dado a Offred uma atuação impecável e extremamente emocional Mas no episódio “A Woman’s Place“ que foi ao ar essa semana ela entregou a atuação que com certeza lhe dará o Emmy esse ano. Emmy e qualquer prêmio que disputar.

Tudo por que na cena final de Offred vimos a personagem de forma muito contida expressar todo o seu desespero ao relatar os abusos que ela e todas as aias vivem no novo mundo de Gilead. Estava tudo ali, medo, indignação, revolta. Você vê na mudança de expressão da atriz o exato momento em que Offred desiste de continuar fingindo que estava tudo bem e volta a ser June, mesmo que isso colocasse sua vida em risco. O meio sorriso deixa de ser de submissão e sim de cinismo enquanto descreve as consequências físicas que toda aia sofre quando desobedece as novas regras, quando diz que que algo tão banal quanto a leitura pode lhe custar um dedo ou uma mão, que não foi sua escolha se tornar escrava sexual, ser uma reprodutora, que sua vida não lhe pertence mais. O olhar de Offred se transforma em raiva quando percebe que a unica pessoa que poderia fazer alguma coisa não vai lhe ajudar por interesse e explode em uma tristeza profunda e avassaladora ao dizer “nós somos humanas. como pode fazer isso?”. Você sente a dor e desesperança da personagem no tom de voz, em cada palavra, cada pausa, cada lágrima. Elisabeth Moss já pode separar o espaço na estante para os prêmios.

 The Handmaid’s Tale é baseada no livro de mesmo nome da autora Margaret Atwood. O drama estrelado pela atriz de  Elisabeth Moss conta a história da vida na distópica Gileade, uma sociedade totalitária que foi anteriormente parte dos EUA. Diante de desastres ambientais e uma taxa de natalidade em queda, Gilead é governada por um fundamentalismo religioso  que trata as mulheres como propriedade do estado. Como uma das poucas mulheres férteis restantes, Offred (Moss) é uma serva na casa de um comandante, uma das castas de mulheres forçadas à servidão sexual como uma última tentativa desesperada para repovoar um mundo devastado. Ela é forçada a navegar entre os comandantes, as suas mulheres cruéis, domésticas “Martas” (servos). Tudo  com um objetivo: sobreviver e encontrar a filha, que foi tirada dela.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM