Esse episódio de This Is Us mostra basicamente a mesma situação sendo vivida por duas famílias diferentes. Beth e Randall estão vivendo o processo de adoção de Deja e Jack e Rebecca estão vivendo o processo de adoção de Randall. É estranho por que nenhuma história mostra a parte pratica depois que o casal de coração bom decide adotar aquela criança que precisa de um lar, em filmes e séries. Achei interessante a decisão de mais uma vez mostrar que até mesmo as melhores decisões da vida encontram seu obstáculos.

Rebecca e Jack passam por um ano de visitas periódicas e parece que está tudo bem. Eles amam Randall, Randall é filho deles, um membro do big three, certo?Errado, pelo menos legalmente. E é na ultima hora que o juiz que vai dar o veredito final encontra um empecilho. Jack e Rebecca nunca darão a Randall a educação que uma família negra daria. Nós sabemos o tempo todo que no final vai dar tudo certo, afinal Randall foi criado pelos dois, mas o episódio é muito bom em plantar essas perguntas na cabeça de quem está assistindo. Teria sido diferente? É claro que teria, mas teria sido melhor para ele ser recebido por uma família negra?Randall seria um adulto, um homem melhor, mais preparado para o mundo ou crescer livre de certos pensamentos e amarras lhe deu mais possibilidades? Não é fácil e acho talvez nem possível chegar a uma resposta exata, ou, sequer justa.

Mas vendo Randall lidar com o mundo de Deja e como ele não consegue compreender as dificuldades nele e até sua rapidez em julgar vemos que em algo o juiz Bradley tem certa razão. A vivencia com uma família branca vai limitar Randall de alguma forma. Porem a vivência e criação com pais que puderam focar na sua criação lhe deu algo muito importante, um bom coração, capaz de procurar entendimento quando lhe falta compreensão. E assim Randall descobre que vai fazer tudo por Deja, mas do jeito certo, sem passar por cima de alguém, no caso a mãe de Deja que está presa e que negligenciou a filha. Ainda mais quando ele tem um ótimo exemplo em sua vida, William. Que teve uma vida problemática, não o criou, mas em nenhum momento deixou de amar e desejar o melhor para o filho. A vida não é fácil, as trajetórias são diferentes para cada um e fazer julgamentos é um caminho muito fácil.

 

 

E sim, julgamento é o tema desse episódio. O que fazer quando é você quem tem o poder de tomar decisões que vai mudar a vida de alguém? Você vai se esforçar para ver além do que parece certo e errado, vai sair da caixa e fazer a diferença no caminho de uma pessoa, de uma família? Rebecca e Jack enfrentaram a linha dura do juiz Bradley, enquanto William estava enfrentando ao mesmo tempo um encontro com o juiz Crowder após ser preso por posse de drogas. Preciso fazer uma confissão. William é o personagem de This Is Us que derrete meu coração e qualquer versão dele. A história trágica de William me comove, por ver esse homem de alma poética tão quebrado e sofrido. É ele quem dá nome ao episódio. O homem mais desapontado do mundo. William está sem motivo para viver depois de perder a mãe, o amor e Randall. A cena do juiz Crowder fazendo a diferença na vida de William e o livrando de anos preso é comovente. Não é lindo e perfeito, William vai penar, vai querer de novo ir para o caminho que o colocou na prisão, mas pela chance que estava ganhando talvez ele conseguisse seguir em frente. E ver que Randall salvou o pai de se jogar nas drogas de novo após descobrir que não tinha chances de sobreviver ao câncer me deixou passada. Voltamos a aquela cena do episódio piloto, em que Randall bate a porta de William. É tudo um ciclo sem fim minha gente.

Kate é quem está vivendo o melhor momento dos irmãos. Grávidinha, tendo que resolver seu casamento com Toby, que milagrosamente está me ganhando de novo. Ele entendeu que a vontade da noiva de fazer um casamento rápido era motivada pelo medo de passar pela experiência toda, que ela queria muito, sem a presença do pai. Toby pedindo conselho para as cinzas de Jack foi fofa e nada forçada, como as cenas do Toby vinham sendo. Ele precisa tomar uma decisão rápida e tirou uma forcinha de alguém que é meio que onipresente na vida de todos. É engraçado como Jack meio que virou uma lenda, como ele está sempre lá entre a família.

Kevin continua em seu caminho rumo ao fundo do poço e a vítima da vez é seu relacionamento com Sophie. Nunca fui fã do casal, sempre achei que Kevin havia descoberto que ainda amava a ex-esposa rápido demais. Não fazia sentido lá atrás, mas agora, vendo melhor quem é Kevin e como essa impulsividade está, ou, parece estar ligada ao seu estado emocional faz todo sentido do mundo. Por que agora que ele está deprimido o relacionamento dele com Sophie já não é boa ideia. E por mais que eu estivesse torcendo para Kevin perceber que ali existia apenas um relacionamento mal resolvido e que deveriam dar adeus um ao outro, doeu ver o jeito com que ele terminou com a ex, sem um pingo de cuidado com os sentimentos dela. Comportamento tipico de alguém que além de deprimido e perdido, está afundado em álcool e drogas.

O episódio falou sobre julgamento. Sobre ver uma situação e não tirar conclusões precipitadas, por mais dura ou ruim, ou por mais claro possa parecer para você o que é certo e errado. Nossas vidas são cercadas das mais diversas circunstancias, que podem parecer fáceis para alguns e não para outros. E a diversidade de This Is Us é uma oportunidade para misturar todas.

E você, fez o bem hoje?

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM