Por que colocam gatinhos fofos em apuros nos programas de TV? O episódio 2.12 de This is Us já começa assim e as lágrimas começam a rolar com um minuto de episódio. Não é justo! Mas Graças a Deus o gato de William, Clooney, passa bem. E o nosso “Big Three” também! Ou pelo menos, caminhando para isso.

Nessa semana, os ânimos estavam muito mais tranquilos. Cada um dos personagens seguiu seu caminho separadamente. Mesmo assim, algo em comum os rodeia: a procura. Kevin procura equilíbrio e cura. Kate, aceitação. Randall, propósito. E através dessa procura, eles acabam encontrando respostas para algumas perguntas.

Kevin foi para a casa de Rebecca, afim de recuperar algum tempo perdido, estreitar laços e seguir “limpo”. Só que, com ela, vem Miguel e sabemos como Kevin se comporta mal perto dele. E é só ao passar mais tempo com eles que Kevin se dá conta de como estava sendo egoísta. Ele finalmente entende que sua mãe é feliz e tem a resposta para uma pergunta que, pelo jeito, estava com ele desde que Rebecca se envolveu com Miguel. Estaria ele apaixonado pela esposa de Jack desde muito antes? E de uma forma muito bonita, Miguel explica que isso seria impossível. Rebecca e Jack eram um só.

Kate, por sua vez, parece estar muito melhor desde a perda do bebê e se esforça para seguir em frente. Ela vê, mais uma vez, que não é apenas ela que tem problemas. Graças a uma boa ação de Madison, ela se dá conta de que a moça magrinha não frequenta as sessões de terapia à toa. Kate vê além das aparências e percebe que Madison está tão desesperada quanto ela já esteve. Isso a ajuda a se entender e se aceitar mais. E para nós vem novamente aquela mensagem, que se iniciou no arco do Kevin: Não é porque alguém é loiro, magro ou simplesmente no “padrão”, que tem a vida perfeita. Nós não somos as outras pessoas, não sabemos pelo que passaram. Não podemos assumir que somos melhores ou piores que alguém. Ainda aqui, temos mais um recadinho: não podemos prever o que a vida nos reserva. Você pode se tornar amigo de quem você menos espera.

Já Randall precisa de um novo propósito na sua vida, já que não tem mais William e por enquanto nenhuma outra criança apareceu para que ele seja pai temporário. E é William que, indiretamente e mais uma vez, ajuda Randall a encontrar a coisa certa para fazer. Randall acha um poema feito por William, para uma mulher misteriosa. Isso dá um fôlego novo para Randall, que tenta de todo jeito descobrir quem era aquela mulher. No fim, ele descobre que era apenas um mural que seu pai observava pela janela. Isso leva Randall a perceber que a resposta estava do lado dele e convida Beth para comprar e restaurar o prédio em que William vivia, para dar mais conforto para aquelas pessoas. E na janela daquele prédio, vemos o gatinho Clooney novamente.

Clooney é a alegoria desse episódio. O vizinho de William que chamou Randall ao prédio diz que todo gato de rua acaba encontrando quem precisa dele. E vemos Clooney andar por todo lugar e escapar de alguns perigos, até encontrar William e mais tarde o garotinho na janela. Ele representa cada um dos membros do grande trio nesse episódio, que, apesar dos apuros que passaram, acabam encontrando alguém que precisa deles ou alguém de quem eles precisam. Kevin encontra a mãe, Madison encontra Kate e Randall encontra seu objetivo, que o leva, sem querer, a Clooney.

É uma beleza de episódio.

E no fim, temos a cena que mostra o alarme de incêndio sem bateria (nos flashbacks, Rebecca pede que Jack a lembre de comprar, na ida da família ao shopping). Isso é o que provavelmente liga com os episódios do início da temporada, onde vemos a casa incendiada dos Pearson. Mas como This is Us tem o dom de nos enganar, não vamos criar expectativas ainda.

 

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM