Faz algum tempo já que comecei a garimpar e juntar series antigas, que eu amava, que lembrava, que não tinha ideia de como eram mais e tive uma bela surpresa ao ir desenterrando uma por uma.

Foi uma missão árdua encontrar algumas, outras tive que ver pelo Youtube (valeu, amigão!), e terminou por ser algo extremamente recompensador.

Você cresce, forma seu caráter, sua índole e muitas vezes nem sabe se foi pela escola, pelos seus pais, às músicas que você ouvia no rádio, seus amigos ou os zilhões de filmes, séries, novelas, documentários que assistiu na vida. Acredito que seja uma grande mistura de todos eles. Você assimila as informações e algumas ficam com você pelo resto da vida.

Então, levando tudo isso em consideração, resolvi expor um pouco das minhas descobertas com vocês, séries que acho relevantes, com música boa, bom enredo, com aquela(e) atriz (ator) que é mega star hoje, mas que antigamente era aquele coadjuvante com meia dúzia de falas e até aquelas que foram a voz de uma geração.

Escolhi começar a escrever sobre uma série que definiu bastante meu gosto musical atual e me ajudou em uma fase bem difícil da minha vida, a Radio Free Roscoe.

radio-free-roscoe-the-n-1371278-1024-768

“It’s all you ever hear / Look like this / Think like this /Be like this

How do you fight it? / We started our own radio station / We keep our identities secret

It gives us the power to say what we want as loud as we want”

Radio Free Roscoe começa assim, levantando uma questão importante que com certeza todos já tivemos que lidar em algum ponto. Isso foi uma das coisas que me atraiu de início.

Essa é uma das minhas séries preferidas do gênero Teen, sem dúvida. A trama toda se desenvolve basicamente ao redor das vidas de 4 amigos que, tentando achar sua voz, na mais delicada fase de suas jornadas (a adolescência), acabam sendo a voz de toda uma comunidade ao montar uma rádio pirata. Ao som de muita música boa, Ray, Travis, Lily e Robbie conversam e tentam achar soluções para os problemas típicos da vida. Profunda sem ser chata, perfeita para aqueles jovens (ou até adultos) meio perdidos no mundo, ainda tentando se encontrar.

Entre as músicas da trilha sonora, que é EXTREMAMENTE extensa, selecionei algumas que gostei muito de ouvir de novo. Ah, lembrando que a Lily (Kate Todd) é uma cantora na vida real (mesmo!), vale a pena dar uma conferida no material dela. Quanto à minha lista, espero que vocês também curtam 😉

The Trews – Not Ready To Go

99 Lives – Pettit Project

The Trews – You’re So Sober

Sekiden – 1+1 Heartache

 

 

 

 

 

 

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Twitter
YouTube
INSTAGRAM